multimídia
((clique))

ROCHAS SEDIMENTARES



Visualização ideal em 800 x 600 pixels v

  |  arenitos  |  argilito  |   calcários  |  chert  |  conglomerado  |  folhelho   |  ritmito  |  siltito  |  tempestito   |  turbidito  |

página << 2 de 3 >>

  Nomenclatura das rochas sedimentares

A nomenclatura de uma rocha sedimentar é feita com base em sua descrição e possível identificação genética. Os termos mais descritivos permitem uma identificação mais completa da rocha, servindo como base nos estudos científicos.

A classificação mais abrangente se baseia em sedimentos alóctones ou autóctones, respectivamente, agregados deposicionais originados fora ou dentro da área de deposição. Como na maioria das vezes o material sedimentado não possui uma única composição mineralógica, o nome da rocha é em função do material predominante.

As rochas sedimentares possuem vários critérios de classificação. Podemos dividí-las em três grupos: texturais, químico-mineralógicos e geométricos, conforme tabela apresentada abaixo (extraída de Teixeira et al., 2000):

Tipo de rocha Caráter do critério Critério Termos

Siliciclástica

Textural

Granulação Rudito (psefito)
Arenito (psamito)
Lutito (pelito)
Proporção de matriz "Arenite", ortoconglomerado
"Wacke",(arenito argiloso) paraconglomerado
Lamito
Arredondamento Conglomerado

Brecha

Mineralógico

Proporção QFL
(quartzo, feldspato, líticos)

Quartzo rudito, quartzo arenito/"wacke"

Rudito feldspático, arenito / "wacke" feldspático (arcósio)

Rudito lítico, arenito / "wacke" lítico

Diversidade ou pureza composicional

Conglomerado oligomítico, conglomerado polimítico

Folhelho, marga, folhelho calcífero, silicoso, porcelanito

Outros

Fissilidade

Folhelho

Ritmicidade

Ritmito

Carbonática

Textural

Granulação

Calcirrudito (dolorrudito)
Calcarenito (doloarenito)
Calcilutito (dololutito)

Tipos de grão / tipo de material intersticial

Ooesparito, oomicrito
Intraesparito, intramicrito
Bioesparito, biomicrito
Pelmicrito, pelsparito

Mineralógico

Relação calcita / dolomita

Calcário, dolomito

Em itálico - granulação areia
Em negrito - granulação cascalho
Sublinhado - granulação lama

  No caso das rochas de origem terrígena, as estruturas estão relacionadas às propriedades físicas das partículas. As três propriedades clássicas da sedimentologia são a granulação, a forma e as feições superficiais. Outras propriedades importantes são: petrotrama (arranjo espacial dos grãos), porosidade (quantidade relativa de poros), permeabilidade (maior ou menor facilidade com que um fluido atravessa um espaço poroso), parâmetros estruturais e as estruturas sedimentares (arranjo de grãos quanto à qualquer uma das demais propriedades).

  Tipos de texturas

Os tipos de texturas para rochas terrígenas são em função de sua granulometria. Assim são utilizados termos como rudito, arenito e lutito ou respectivamente psefito, psamito e pelito. Quando uma rocha possui mais de um tipo de granulação, são utilizados termos compostos, tais como arenito pelítico, referindo-se a uma rocha com mais areia do que argila.

A textura também pode ser identificada pelo tipo de matriz, como arenito, ortoconglomerado e paraconglomerado, resultado direto da deposição de areia ou cascalho onde ocorre uma seleção granulométrica. Ortoconglomerado é quando a rocha é suportada pelo arcabouço, enquanto o  paraconglomerado é suportado pela matriz, como mostra a figura abaixo de Harms et al., 1975 (em Giannini, 2000). Os psamitos terrígenos são classificados como " arenite" quando são limpos, e "subwacke" quando possuem menos de 10% de matriz verdadeira; do contrário, são chamados de wacke, onde o material fino tem caráter de matriz ( mais de 10%).

Existem ainda rochas que são classificadas de acordo com a sua mineralogia, como exemplo, as rochas rudáceas e lutáceas. As rochas rudáceas são classificadas de acordo com dois critérios: o primeiro consiste na sua classificação composicional, sendo o prefixo poli para grande variação composicional, e oligo para pouca. No segundo critério é levada em conta sua mineralogia, como por exemplo quartzo-rudito ou ainda rudito feldspático.

Para as rochas lutáceas é utilizado o diagrama de Alling, 1945 (figura ao lado, extraída de Giannini, 2000), onde é levado em consideração a proporção relativa de três componentes: argilominerais, carbonatos e sílica; não se limitando apenas às rochas terrígenas e nem ao conjunto de rochas alóctones.
O nome porcelanito nada mais é do que um silexito com textura muito fina. Em amarelo estão assinaladas os diferentes tipos de estruturas associadas às diversas rochas sedimentares.

página << 2 de 3 >>

  |  arenitos  |  argilito  |   calcários  |  chert  |  conglomerado  |  folhelho   |  ritmito  |  siltito  |  tempestito   |  turbidito  |

©Fábio Braz Machado