multimídia
((clique))

ROCHAS METAMÓRFICAS

migmatito



Visualização ideal em 800 x 600 pixels

anfibolito  |  ardósia  |   cataclasito  |  eclogito  |  escarnito  |  filito   |  gnaisse  |  gondito  |  granulito  |  hornfels   |  itabirito  |  mármore  |  meta-conglomerado  |   migmatito  |  milonito   |  quartzito  |   serpentinito  |  xisto  |

 rombul3a.gif (120 bytes) estruturas rombul3a.gif (120 bytes) | rombul3a.gif (120 bytes) texturas rombul3a.gif (120 bytes) | rombul3a.gif (120 bytes) nomenclatura rombul3a.gif (120 bytes)

<< página 2 de 2

ESTRUTURAS

expbul1a.gif (699 bytes) São descritos também diversos tipos de estruturas em migmatitos, devido à grande variedade que compõe este tipo de rocha:

Agmatítica ou brechada

É formada por fragmentos rochosos angulosos do paleossoma de tamanhos variáveis, separados por veios de material granítico ou neossomático.
Para sua formação, pode ter ocorrido brechação e preenchimento dos planos de ruptura por magma.

Dictionítica ou de rede

Há presença de veios de neossoma retalhando o paleossoma, compondo uma rede densa. Este tipo de estrutura apresenta sinais de cisalhamento, ao contrário da estrutura agmatítica.

Schollen ou em placas

É composta por blocos isolados de paleossoma mergulhados no neossoma. Essas placas podem apresentar comumente sinais de rotação ou cisalhamento.

Flebítica ou venosa

Consiste em numerosos veios irregulares de neossoma recortando o paleossoma, contrastando com o caráter retilíneo da estrutura em rede.

Estromatítica ou acamada

É constituída por veios de material neossômico paralelos à xistosidade. É também conhecida como "lit-par-lit", atribuindo-se a feição magmática, denominando-se as rochas de gnaisses de injeção ou gnaisses "lit-par-lit".

Dilatação

Ocorre nas rochas que possuem diferentes competências, levando ao desenvolvimento de boudinage (feição de estiramento). Se houver separação dos boudins pelo neossoma surge a estrutura de dilatação.

Dobrada

Nesta estrutura, veios dobrados de neossoma recortam o paleossoma. As dobras são de tamanhos variáveis e mais ou menos paralelas.

Ptigmática

O neossoma constitui veios intensamente dobrados de pequena amplitude e sem correspondentes na foliação do paleossoma, com o qual normalmente é discordante.

Oftalmítica ou ocelar

O material neossômico apresenta-se disperso por todo o paleossoma sob forma de olhos, quase sempre tratando-se de porfiroblastos de feldspato potássico ou plagioclásio ácido, frequentemente envolvidos por minerais máficos concordantes com planos de xistosidade.

Estictolítica ou de manchas

É mais rara, na qual os minerais máficos se concentram em manchas, deixando ao seu redor material rico em minerais claros.

"Schilieren"

Há separação bem nítida de faixas claras e escuras. Para sua formação, houve maior mobilidade mecânica dos migmatitos do que os de estruturas de penetração como agmatitos e dictonitos. São formados sob grandes pressões e temperatura, apresentando intensa mobilidade dos constituintes

Nebulítica

Não há distinção entre o paleossoma e o neossoma, já que a absorção do paleossoma pelo neossoma encontra-se em estágio muito avançado. Essa estrutura é o último sinal de alguma estrutura migmatítica. Os nebulitos encontram-se no núcleo dos migmatitos, representando a fase anterior à formação de intrusões magmáticas.

<< página 2 de 2

anfibolito  |  ardósia  |   cataclasito  |  eclogito  |  escarnito  |  filito   |  gnaisse  |  gondito  |  granulito  |  hornfels   |  itabirito  |  mármore  |  meta-conglomerado  |   migmatito  |  milonito   |  quartzito  |   serpentinito  |  xisto  |

 rombul3a.gif (120 bytes) estruturas rombul3a.gif (120 bytes) | rombul3a.gif (120 bytes) texturas rombul3a.gif (120 bytes) | rombul3a.gif (120 bytes) nomenclatura rombul3a.gif (120 bytes)

©Fábio Braz Machado