Clique no mineral desejado


multimídia
((clique))
acantita enargita miargirita proustita
arsenopirita skutterudita millerita realgar
bismutinita esfalerita molibdenita silvanita
bornita estanita nicolita sperrylita

boulangerita

estibinita olivenita stephanita

bornonita

galena ouro - pigmento tennantita

calcocita

greenockita pirargirita tetradimita

calcopirita

jamesonita pirita tetraedrita

cinábrio

loellinguita pirrotita wurtzita
cobaltita marcassita polibasita zinkenita
covellita

        Além dos sulfetos estão incluídos nesta subdivisão os selenetos, teluretos, arsenietos, antimonetos, sulfossais e oxi-sulfetos. Dessa forma os minerais desse grupo originam-se pela combinação do S, As, Se e Te, com metais e metalóides. Quando o As, Se ou Te ocupa o lugar do S, gerando um sal duplo, a exemplo da enargita (Cu3AsS4), que pode ser grafada como (Cu2S)3.As2S5, são denominados de sulfossais. O enxofre pode ser S2- ou S6+, no primeiro caso originando os sulfetos e no segundo, os sulfatos (SO4)2-.

    Qualquer sulfeto pode ser utilizado para a obtenção do enxofre elementar e o SO2 das ustulações podem ser usados para a obtenção do ácido sulfúrico ou sulfídrico. Os sulfetos originam-se através de cristalização dos magmas com H2S na fase fluida, quanto maior a pressão de H2S, maior a quantidade de sulfeto, podendo o S ser a base de um magma sulfetado, que é insolúvel, não se mistura com o magma silicático, e por ter densidade maior concentra-se nas porções inferiores dos derrames ou das intrusões. Também originam-se pela desgaseificação dos magmas em profundidades e no fundo oceânico, dificilmente formando-se na superfície nos tempos atuais devido à atmosfera oxidante, gerando nesse caso normalmente enxofre metálico ou sulfatos. Na superfície terrestre, durante a formação das rochas sedimentares (sedimentação ou diagênese), o sulfeto pode formar-se desde que o ambiente seja redutor (anóxido), podendo mesmo formar-se devido a putrefação da matéria orgânica.

© Geól. MSc. Fábio Braz Machado (fabiobm@rc.unesp.br)