opala

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de opala

Direções ópticas e cristalográficas

Fórmula Química - SiO2.nH2O
Composição -
  Óxido de silício hidratado
Cristalografia -
Amorfo a criptocristalino

Propriedades Ópticas -
Uniaxial positivo

Hábito -
Maciço
Clivagem - 
Inexistente
Dureza -
5,5 - 6,5

Densidade relativa -
2,01 - 2,16
Fratura -
Conchoidal
Brilho -
Transparente, vítreo
Cor -
Muito variável, mostrando jogo de cores, efeito este que parece derivar da reflexão da luz em camadas com diferentes quantidades de água. Pesquisas mais recentes evidenciam que se trata de uma forma de cristobalita hidratada, com poros submicroscópicos que contém água

Associação -
 Normalmente associada a outros minerais silicáticos.

Propriedades Diagnósticas -
Pode ser facilmente identificada pela cor e brilho.
Ocorrência -
Ocorre em fendas e cavidades de rochas ígneas, metamórficas e sedimentares, em nódulos em calcários, veios, fontes termais etc., originado-se das decomposições termais de silicatos e rochas silicatadas.
Usos - As opalas nobres e lapidadas, são usadas na joalheria, a opala comum na confecção de adornos artesanais ou para coleção e fins acadêmicos; nas escultura de pequenas estatuetas, etc.

Mineral Anterior Voltar para silica Próximo Mineral

©Fábio Braz Machado