cobre

 

Fórmula Química - Cu

Composição - 100% Cu

Cristalografia -
Isométrico, hexaoctaédrico. Forma cristais tetrahexaédricos, cúbicos, octaédricos e/ou dodecaedros.
        Classe -
Hexaoctaedral

Propriedades Ópticas - Isotrópico, rosa

Hábito -
 São comuns cristais mal formados, em grupos ramificados e arborecentes, escamas, placas, fios e massas irregulares.

Foto do Mineral

Cristais de cobre

Clivagem -
Dureza -
2,5 - 3
Densidade relativa - 8,8 - 8,94
Fratura -
Irregular

Brilho - Metálico
Cor - vermelho do cobre em superfícies recentes, e escuro de brilho fosco por oxidação.

Associação - Calcopirita, Cu nativo, calcocita, bornita, azurita, pseudomalaquita, crisocola, covelita, cuprita, tetraedrita, malaquita, enargita, bornonita, tennantita, brochantita, tenorita e calcantita. Forma aproximadamente 165 minerais.
Propriedades Diagnósticas -  Cor vermelha em superfícies recentes, fratura serrilhada, densidade relativa alta, maleabilidade e testes químicos. No ar seco, recobre-se de uma fina camada de óxido que o protege, já na presença de umidade forma o azinhavre [CuCo3.Cu(OH)2].
Ocorrência -
Mineral originado por oxidação, na zona de cimentação, nos filões mineralizados em cobre, juntamente com cuprita, malaquita e azurita crisocola. Aparece também associado a extrusivas básicas, em amígdalas e veios, gerados por processos hidrotermais de baixa temperatura.
Usos - Principalmente na indústria elétrica e eletrônica e em ligas: latão (cobre-zinco) e bronze (cobre-estanho). É usado também na indústria química (tintas, pigmentos, pesticidas, defensivos agrícolas), joalheria, cunhagem de moedas, tratamento de águas, análises químicas, objetos ornamentais e embalagens.

Mineral Anterior Voltar para Elementos Nativos Próximo Mineral

©Fábio Braz Machado