calcita

Foto do Mineral Forma Cristalográfica

Cristais romboédricos de calcita

Direções ópticas e cristalográficas

Galeria de Fotos

Fórmula Química - CaCO3
Composição -
Carbonato de Cálcio. 53,0% CaO , 44,0% CO2
Cristalografia -
Trigonal
        Classe -
Hexagonal escalenoédrica

Propriedades Ópticas -
Uniaxial negativo

Hábito -
Prismático, romboédrico ou Escalenoédrico
Clivagem -
Perfeita {10-11}, com ângulo de 74º55'
Partição -
Ao longo das lamelas de geminação segundo {01-12}
Dureza -
3
Densidade relativa -
2,72
Brilho -
Vítreo a terroso
Cor -
Usualmente branco ou incolor, cinza, vermelho, verde , azul e amarelo. Também, quando impura, castanho a preto

Associação -
Os cristais de calcita podem incluir quantidades consideráveis de areias de quartzo (até 60%) e formam o chamado cristal de arenito.
Propriedades Diagnósticas -
Dureza 3, clivagem perfeita, cor e brilho vítreo. Distingue-se da dolomita, pela efervecência em HCl e da aragonita por ter menor densidade e clivagem romboédrica.
Ocorrência -
É um dos minerais mais comuns e disseminados. Ocorre como massas rochosas sedimentares enormes e amplamente espalhadas, nas quais é o único mineral preponderante, sendo o único presente em certos calcários. É um constituinte importante de margas e pelitos calcários.
    As rochas calcárias formam-se por processos orgânicos e inorgânicos. No primeiro caso resulta da deposição em fundo marinho, de grandes camadas de material calcário, sob a forma de carapaças e esqueletos de animais marinhos. Uma proporção menor dessas rochas formam-se inorgânicamente pela precipitação direta de carbonato de cálcio em soluções aquosas.

Usos -
O emprego mais importante da calcita é na fabricação de cimentos e cal para argamassa. Também é usado como corretor de pH em solos ácidos.

Mineral Anterior Voltar para Carbonatos Próximo Mineral

©Fábio Braz Machado