Clique no mineral desejado


multimídia
((clique))

boracita colemanita kernita ulexita
bórax hamberguita ludwiguita

Os boratos constituem sais normalmente gerados a partir de ácido bórico ou ácidos polibóricos e podem conter cátions Al3+, Fe3+ e Mn3+ em combinação com cátions bivalentes de pequeno raio iônico. Os boratos anidros são insolúveis em água e frequentemente também em ácidos, fusíveis a alta temperatura e podem atingir dureza superior a 7. Os boratos com Na e Ca e hidroxilas e/ou água são normalmente solúveis e de dureza baixa.

A baixas temperaturas existe uma tendência dos boratos serem substituídos por carbonatos e a altas temperaturas esse processo tende a inverter. Boratos são substituídos por carbonatos nos processos de alteração e tem sido observado a formação de boratos a partir de carbonatos em metamorfismo de contato.

O boro é um dos elementos mais solúveis, sendo transportado por soluções aquosas contendo Cl e OH e especialmente F com quem tem forte afinidade química. Dessa forma, os boratos fazem parte dos produtos geológicos residuais, sendo encontrado em pegmatitos, hidrotermalitos, eflorescência, e principalmente em sequências evaporíticas.

Os boratos possuem propriedades cristaloquímicas similares às do silicatos e dos fluoretos de Al, pois podem-se polimerizar, formando cadeias, camadas ou grupos múltiplos isolados, e por isto são de grande interesse para o mineralogista. Isto se deve ao fato do íon B3+, muito pequeno, coordenar três O= em sua configuração estável. Como a carga do cátion central é 3 e existem três vizinhos bivalentes, a força de ligação B-O vai ser igual à unidade, portanto exatamente a metade da energia de ligação do íons oxigênio. Isto permite que um único O seja compartilhado por dois B ligando assim os triângulos da unidade fundamental dos boratos.

A maior parte dos boratos comuns têm de folhas interrompidas de triângulos BO3 nos quais todos os três oxigênios são compartilhados. As folhas são separadas por camadas de moléculas de água e unidas pelos íons sódio ou cálcio, resultando minerais ou cristais de baixa simetria, moles e bastante solúveis.

É possível preparar uma estrutura tridimensional constituída exclusivamente de triângulos BO3, gerando a fórmula B2O3, todavia esta apresenta baixa estabilidade e se desintegra rapidamente, produzindo vidro. Devido a este fato e a tendência de formar redes de triângulos BO3, algo desordenado, o boro é utilizado na fabricação de vidro como um "formador de redes", sendo usado na preparação de vidros especiais de baixa densidade e elevada transparência.

©Fábio Braz Machado