ambulan21.gif (18281 bytes)

 

Como eu faço para.....

Um manual de procedimentos em mineralogia óptica

A fórmula pleocróica


Pleocroísmo é o fenômeno que certos minerais anisotrópicos, transparentes e coloridos apresentam, de absorverem a luz de maneira seletiva segundo suas diferentes direções de vibração. Desta forma, quando um mineral é pleocróico, girando-se a platina do microscópio ele muda de cor.

Quando a direção de vibração para a qual se verifica a máxima absorção, ficar paralela a direção de vibração do polarizador inferior, a cor do mineral será escura. Por conseqüência, quando a direção de vibração do polarizador inferior for paralela a direção de vibração para a qual se observa a menor absorção, a cor exibida pelo mineral será clara.

Dá-se o nome de fórmula pleocróica a associação das diferentes cores observadas às diferentes direções cristalográficas (ou ópticas) do mineral.

O pleocroísmo é um fenômeno observado a nicóis descruzados

Pleocroísmo de Minerais Uniaxiais: os minerais uniaxiais coloridos que apresentam o fenômeno do pleocroísmo, exibem duas cores extremas: uma na direção do raio extraordinário e outra segundo a do raio ordinário. Assim, diz-se que estes minerais são dicróicos.

Procedimento:

1- Escolha uma seção longitudinal ou uma seção prismática do mineral (esta seção necessariamente apresenta extinção reta).

2- Alinhe o cristal de forma que sua direção de maior comprimento, ou a direção de E (ou ne),  fique paralela ao do polarizador.

3- Observe se o cristal apresenta cor forte (absorção forte) ou fraca (absorção fraca). Gire o cristal 90 graus a partir desta posição e a situação oposta deverá ocorrer

Assim a fórmula pleocróica será: E= cor, absorção forte ou fraca, O= cor, absorção forte ou fraca


turmalina.gif (3759 bytes)

Ex. Turmalina:

A turmalina tem índices de refração: ne = 1,610 e nw = 1,631, ou seja, um mineral uniaxial negativo (ne < nw ), portanto com a direção de maior alongamento é a direção de "E" - raio extraordinário que é coincidente com o eixo cristalográfico "c" e ao eixo óptico (E // c // eo).

Procedimento

Esquema

Fotomicrografia

1- Orientando o cristal - direção de maior comprimento E // ao polarizador (PP): cor verde clara - absorção fraca

turmalina_pp_des.gif (3892 bytes)

Turmalina paralela ao polarizador

2- Rotacionando 90 graus a partir da posição anterior - E // ao analisador (AA): cor verde escura - absorção forte

turmalina_aa_des.gif (3913 bytes)

Turmalina paralela ao analisador

3- A fórmula pleocróica é:E= verde clara, absorção fraca, O= verde escura, absorção forte
Obs: O  traço de escala nas fotomicrografias (vermelho) corresponde a 100 mm
PP= direção de vibração do polarizador, AA= direção de vibração do analisador

 

Pleocroísmo em minerais biaxiais: Os minerais biaxiais coloridos que apresentam o fenômeno do pleocroísmo exibem três cores extremas de pleocroísmo, que são determinadas nas direções X, Y e Z da indicatriz.
Como em um plano só pode haver dois índices de refração associados (posto que X , Y e Z são perpendiculares entre si), é necessário observarmos as cores associadas uma, ou no máximo duas a duas, nos diferentes cristais do mineral de interesse.

 

Procedimento:

  1. Observe os cristais na lâmina delgada e tente reconhecer um deles que não mude de cor. Cruze os nicóis e observe se o mineral fica permanentemente extinto com a rotação da platina. Em caso afirmativo, esta cor corresponde a cor de Y.
  2. Cruze novamente os nicóis e procure agora por uma seção que contenha Z e X, ou seja a que apresenta cores de interferência mais alta em relação as demais. Como Z > X, Z cooresponderá ao raio lento enquanto que X ao raio rápido. Descruze os nicóis, re-oriente o mineral de forma a observar as cores correspondentes a X e Z.

 

piedemontita.gif (10695 bytes)

 

Ex. Piedmontita

A piedmontita (um sorossilicato da família do epidoto) possui índices de refração na = 1,725; nb = 1,730 e ng = 1,750 e portanto é um mineral de caráter óptico biaxial de sinal positivo

 

 

Procedimento

Esquema

Fotomicrografia

1- Orientando o cristal - direção de maior comprimento Y // ao polarizador (PP), observe que com a rotação da platina o cristal não muda de cor, esta é portanto uma sessão longitudinal: cor rosa - absorção fraca
(Se os nicóis fossem cruzados, esta seção estaria sempre extinta)

piedemontita rosa.gif (5202 bytes)

Piedemontita com Y// Polarizador

2- Selecione um cristal que apresente duas cores de pelocroísmo com a rotação da platina. A cor intermediária observada   corresponderá a X // ao polarizador (PP):  cor amarela
(Se os nicóis forem cruzados, esta seção teria cor de interferência máxima)

piedemontita amarela.gif (5216 bytes)

Piedemontita com X// Polarizador

3- Girando a platina, a partir da posição anterior,   o cristal adquire uma cor  de matiz forte, que corresponde a Z // ao poalarizador (PP): cor vermelho - absorção forte

piedemontita vermelha.gif (5053 bytes)

Piedemontita com Z// Polarizador

4- A fórmula pleocróica é:Z= vermelho, absorção forte, X= amarelo, absorção intermediária, Y=rosa, absorção fraca.

Obs:
O  traço de escala nas fotomicrografias (vermelho) corresponde a 100
mm
PP= direção de vibração do polarizador, AA= direção de vibração do analisador


Assista um vídeo sobre esta propriedade

b001.gif (5499 bytes)